POESIAS, CULTURA, INFORMAÇÕES E ASSUNTOS C.C.B. BRASIL, MUNDO

30
Abr 14
CATANÃ O ULTIMO CANGACEIRO E POETA
publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 19:19

CÃTANÃ O ÚLTIMO CANGECEIRO/O TERROR DOS ANOS 50



EM BREVE TODOS CONHECERÃO A VERDADEIRA HISTÓRIA DO MAIOR  PISTOLEIRO DO NORDESTE, SAIBAM TUDO O QUE ACONTECEU EM TERESINA DURANTE SUA ESTADIA NA PENITENCIÁRIA. ELE ERA PRISIONEIRO OU UM HOSPEDE  VIP? PORQUE ELE NUNCA FUGIU DA CADEIA DE TERESINA?
publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 19:00

29
Abr 14
#SOMOS TODOS MACACOS


SOMOS IRMÃOS
publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 20:25

28
Abr 14
A DOMÉSTICA

 

 DOMÉSTICA

 

Em pé sobre os umbrais da porta

Aguarda aquele que não marcara

Com o olhar distante contempla

A rua em sua peculiaridade vista.

 

Em seu coração a esperança e certeza

De uma vida em labuta constante dita.

Em sonhos e aflitos apelos espera ela

Pelo momento de hora feliz simplista.

 

...Em abraçar o sonho de sua vida,

Onde almeja ser servida à servir

Pela vida que lhe impusera sua sina

De mulher Valquíria em abrupta luta.

 

Em pé sob a porta e os umbrais da vida

Esperara ela... Por alguém que não virá

Em tristes lábios, carente e simplória.

Por uma doce ilusão que lhe atormenta...

 

Por toda uma eternidade que jamais

Mudará destino implícito ao rebento.

 

A doméstica! Mulher indomável em si!

Valquíria por sua labuta de vida em si.

Mas espera em seu coração e umbrais...

Por alguém que não virá amá-la jamais.

 

Triste a cantar o lamento de loba no cio

Mas o lobo não virá, nem sua alcateia,

Pois o sapo não virá a ser seu príncipe.

Nem virá o príncipe pela doméstica.

 

 

D`Gáudio Procópio

 

 

 

publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 16:09
tags:

09
Abr 14

SÓ TREVAS E PRANTO

 

 

Não consigo ver a estrada... Só sei que vou...

Levado ou simplesmente carregado por...

Uma força talvez, ou mesmo um misticismo,

Que conduz essa matéria infecta deplorável.

 

Mas por que razão causa ou circunstâncias?

Um abismo nebuloso em profundo espectro

Em caudal esgar fluvial de um lodo verbal:

Possas tu migrar em estação negra vindoura.

 

Não consigo ver a estrada... Em névoas lacrimais...

Que cega a alma tisga em dor putréfica terminal.

Não vejo a luz que guia os tolos ao triste olhar

Por inocente prisma de sonhos, engodo e bem estar.

 

Não consigo ver a luz... Só trevas... E trevas...

Perverte a luz, que a bruma embaça a alma.

Só trevas... E um abismo profundo que clama...

Em trevas e lamúrias de rio sanguíneo e fogo.

 

Não vejo a luz... Só o fim... De um tudo nada.

Não vejo a luz... Só gritos e prantos sepulcral,

Ao ser e a luz... Que cega e vesga a penumbra

Essencial temática duma visão em vida factual.

 

 

D`Gáudio Procópio  

 

publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 10:46
tags:

  E QUANDO NO OLIMPO...

 

...Então olharei para ti e direi: valeu apena?

 

E tu me responderás:

— Entre trevas e flamas subsisti

Queimei a alma em amargo expectar depressivo

E cá estou... À porta do teu céu inferno... 

 

... E tu dirás: Oh vem! Vedes o que fora tu.

Então te direi: Para que saber o fruto?

Quiçá mudarás o feito fatídico? Não! Deixarás então.

 

Então arderás entre espasmos e odores finais

Porque seria diferente do antes?

É tarde demais e de pouco seu valor.

 

Olharás ao olimpo e clamarás:

Ó céus e mares onde estava vós?

Que não foste presente ao réu?

 

Então vos direi: não agora, não agora!

Ocultai vós o ser que putrefa,

Decantai-vos e declamais vós os versos,

Só isso, nada mais! Pouco serás o valor

 

 

D`Gáudio Procópio

 

 

 

 

 

publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 10:41
tags:

04
Abr 14
publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 18:29
tags:

Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO