POESIAS, CULTURA, INFORMAÇÕES E ASSUNTOS C.C.B. BRASIL, MUNDO

Usuário Online

contador de usuários online grátis
09
Abr 14

SÓ TREVAS E PRANTO

 

 

Não consigo ver a estrada... Só sei que vou...

Levado ou simplesmente carregado por...

Uma força talvez, ou mesmo um misticismo,

Que conduz essa matéria infecta deplorável.

 

Mas por que razão causa ou circunstâncias?

Um abismo nebuloso em profundo espectro

Em caudal esgar fluvial de um lodo verbal:

Possas tu migrar em estação negra vindoura.

 

Não consigo ver a estrada... Em névoas lacrimais...

Que cega a alma tisga em dor putréfica terminal.

Não vejo a luz que guia os tolos ao triste olhar

Por inocente prisma de sonhos, engodo e bem estar.

 

Não consigo ver a luz... Só trevas... E trevas...

Perverte a luz, que a bruma embaça a alma.

Só trevas... E um abismo profundo que clama...

Em trevas e lamúrias de rio sanguíneo e fogo.

 

Não vejo a luz... Só o fim... De um tudo nada.

Não vejo a luz... Só gritos e prantos sepulcral,

Ao ser e a luz... Que cega e vesga a penumbra

Essencial temática duma visão em vida factual.

 

 

D`Gáudio Procópio  

 

publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 10:46
tags:

Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

MAPA MUNDI
MUSICA
LIKE YOU
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO