POESIAS, CULTURA, INFORMAÇÕES E ASSUNTOS C.C.B. BRASIL, MUNDO

15
Abr 12
 
CORSO/CARNAVAL/TERESINA/ORIGEM

 FRANCISCO LOUREIRO DE PAULA

 

 

 

HISTORIA DO CORSO DE TERESINA

 

 

 

 

 

 

 

 

CORSO: Segundo o dicionário português, significa
carreata de carros. Desfile de veículos enfeitados.

 

 

 

 

publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 14:38

18
Set 11

 

 

 

 

O SAMBA NO PIAUÍ

 

SAMBA E CARNAVAL! A ORIGEM, PRIMEIROS PASSOS E PRIMEIRA ESCOLA CARNAVELSCA DE TERESINA.

ONDE E COMO SE DEU.

 

O COMEÇO DE TUDO.

O SAMBA NA CAPITAL TUPI

 

COM A PALAVRA: MANOEL MESSIAS DO ESPÍRITO SANTO. Nasceu em 16 de dezembro de 1948. Sambista, Carnavalesco, Sambista, Compositor, Músico, Artesão e instrumentista. Toca cordas e percussão. Folclorista e contador de histórias. E agora recentemente Habilitado em Radiofonia e Televisão. Formado pela: COMRÁDIO do Brasil.

 

No intuito de resgatar nossa história e preservar a cultura e costumes dos piauienses, resolvemos investigar a origem do samba e raízes do carnaval na CAPITAL TUPI. Teresina de Da Costa e Silva, Torquato Neto e D`Gáudio Procópio. Cidade luz! Terra do amor e paixão, geratriz de grandes poetas nordestinos e repentistas. (cordel)

 

 PRIMEIRA ETAPA, O INÍCIO: DÉCADA DE 40.

 

PERGUNA: — Manoel messias, queremos saber como surgiu o samba em Teresina, qual origem e época? Como nasceu e onde tudo se iniciou? Razões motivos:

 

RESPOSTA: — Existe em Teresina uma história de que o samba nasceu na Vila Operária. O samba não nasceu na Vila Operária. O samba nasceu bem aqui! No Largo da Penitência, onde hoje é a Rua Clodoaldo Freitas, ao lado do Estádio Lindolfo Monteiro: — Por que eu digo que o samba nasceu onde nasceu a primeira escola de samba. A primeira escola de samba foi de Manoelzinho Campelo em 1940... 1948 mas ou menos nessa época. Não temos uma data exata, mas foi na década de 40. Então a escola de samba de Manoelzinho Campelo se situava aqui, onde hoje é... Digo, ela se situava na antiga Rua Palmeirinha que hoje se chama Rua Clodoaldo Freitas, entre as Ruas Firmino Pires e João Cabral e a Riachuelo. Ao lado do Lindolfo Monteiro. Foi lá onde ele iniciou o samba juntamente com seus irmãos Ângelo Campelo e Edmilson Campelo e sua família que residia no local. Lá foi fundada a “NOVA ESCOLA DE SAMBA”. O nome era “NOVA ESCOLA DE SAMBA”. E de lá começou a desfilar. Desfilou até 1958. Desfilou por 10 anos. Quando o Manoelzinho desistiu por questões de doença. Ele vivia numa cadeira de rodas. Não conseguia mais acompanhar a escola. Ele preparava a escola, fazia composições, treinava na casa dele, mas o interessante é que ele não a- acompanhava, nem com sua cadeira de rodas, ele não acompanhava. E depois que eles acabaram com a escola de samba, surgiu ali no Mafuá a Império do Samba. Logo ali ao lado, onde hoje é o mercado do Mafuá.

 

 

 

 

 

ORIGEM DO SAMBA NO PIAUÍ/ SAMBA/PRIMEIROS ACORDES

 

 

 

 

OS PRIMEIROS CORDÕES

 

O CÍRCULO CARNAVALESCO

 

Segundo matéria veiculada na revista “CADERNOS DE TERESINA” “ano XXIV edição nº 41 de fev. 2010.” Pesquisado por, Raimundo Nonato Alves Lima, jornalista e poeta. Os primeiros cordões e manifestações carnavalescas surgiram na década de 40. Os primeiros blocos foram: “GAROTOS DA LUA” criados por Ramirez.  Depois surgiram os blocos, “PIERRÔS”, “COLOMBINAS”, “GAROTOS SAMBISTAS” E “FENIANO” criado por Euclides Pedro Amaro. Os batuques como não poderiam ser de outra forma, foram criado e inspirado sob a luz do LUAR, lampiões a gás e Lamparinas, acompanhados por vários instrumentos de precursão e cordas. Entre eles os famosos surdos. O surdão! Tamborins, tantãs, reco-reco, maracás, chocalhos, faveiras e violões banjos e bambus. Todo esse movimento ocorria no bairro Matinha, no bar São José, localizado na Alameda Parnaíba. As manifestações se davam aos finais de semanas. Os sambistas, ou como podemos assim dizer: aprendizes de sambistas faziam um círculo e praticavam o ritual alegre e animado que mais tarde viera a se transformar em carnaval. Onde também começaram a surgir às famosas passistas. Já que dentro dos círculos carnavalescos eles colocavam as mulatas para sambarem ao som dos batuques.

 

SEGUNDA ETAPA: DÉCADA DE 60

 

Depois de 1958 já na década de 60 surgiu o Império do samba. Depois houve um racha no Império do samba. E depois desse racha surgiu outra escola já na Vila Operária, que foi a “ESCRAVO DO SAMBA”.  Eu acredito até que eles tenham confundido o bairro onde mais teve escola de samba que realmente foi na Vila. E a Vila teve além de Escravo do samba, teve também os “VETERANOS DO SAMBA”.

 

PERGUNTA: — Mas hoje não tem nenhuma escola de samba na Vila?

 

RESPOSTA: — Não! Lá tem muitos sambistas bons que mora por lá! Mas escola de samba não tem. As escolas de sambas hoje em Teresina são poucas. Por que aquelas antigas não existem mais. A mais antiga escola que tem hoje em Teresina e que continua desfilando é a “BRASA SAMBA”. A brasa samba é de 1971, o “SAMBÃO de 1973.” E depois vem ai a SKINDÔ que é mais recente. “UNIDOS DA SAUDADE” do João Bosco e a “MOCIDADE ALEGRE” do Parque Piauí. São as mais recentes. Mas a mais antiga que continua em evidência é a Brasa Samba fundada em 1971 e a segunda é a “Sambão” de 1973. Elas continuam aí se arrastando no carnaval com dificuldades por falta de apoio.

 

PERGUNTA: — Cite dois nomes de sambista bons que existiam na Vila.

 

RESPOSTA: — Falar em sambistas bons, a gente não pode deixar de falar em João Borges, já falecido. Era “conhecido como “João Cacundinho”. Já o “Zeca couro velho” que também era magarefe e um grande folião. Foi o fundador do “Império do samba” e tinha outros junto com ele. Zeca jacu, Manole Fininho, Raspa. Eram tantos naquela época, do Escravo do samba. As escolas eram formadas em grande parte por operários. O cara era carpinteiro ou marceneiro, ferreiro, alfaiate ou então magarefe. As escolas eram formadas por pessoas que tinha condições de se manterem. Inclusive com fantasias, ajudavam outras pessoas a conseguirem suas fantasias, aquelas que não tinham condições. As pastoras, meninas que compunham as escolas. Eram operários e pequenos comerciantes que tiravam os fins de semanas para batucarem. Uns tocavam pandeiros, outros tocavam banjos, alguns instrumentos de sopro. Eles se reuniam no barracão sede das escolas de samba que ficava próximo à região do Bairro Augusto Ferro, perto do mercado do Mafuá, local conhecido como encontro dos sambistas. Lá eles realizavam suas atividades. Faziam as festas e ensaiavam os sambas (na verdade era o local escolhido para comporem as canções sambas e baladas de batuques para o carnaval) era uma coisa bonita de se ver. Quando a escola estava preparada para desfilar no mês de fevereiro período do carnaval, eles desfilavam no Domingo, segunda e terça feira. Eles ensaiavam de segunda a sexta de 07h00min. As 10h00min.  E durante os ensaios havia as confraternizações, o aglomeramento de pessoas e componentes das escolas.  Todos bebendo uma caninha, cachaça, nas esquinas antes iniciarem os ensaios. (E ainda segundo nos informa Manoel Messias: o local servia de palco para grandes romances, encontros amorosos. Namorados que se conheciam começo e fim de grandes namoros. Era uma festa! Um verdadeiro teatro da vida. Palco de muitas histórias, romances e contos do cotidiano e vida dos teresinenses.) O carnaval era uma festa popular que eles encaravam com grandes responsabilidades! Até por que, havia disputas entres eles, sempre houve disputas entre as escolas. E as disputas eram travadas entre as escolas: Império do samba, Escravo do samba e Maluco por samba.   O Maluco por samba era da zona sul de um grade sambista piauienses conhecido como: Antônio dos Remédios. Eram as três escolas mais poderosas da época. E tinha outras como Turma da Mangueira, Bambas da Folia que era do nosso amigo Jaime. Jaime folião! Compositor. Tinha também os Piratas do Ritmo que era do Cafuringa, e a Turma da Mangueira que também era da zona sul, do nosso amigo: Capeta. Olha o nome do homem: Capeta! Mas era um Capeta sambista.  Aqui na zona norte tinha Império do Samba, escravo do samba. Tinha também o Araçagi do samba, lá de cima do morro da Esperança; antigo morro do urubu. Era do sargento Jorge. Aqui no centro tinha o Sambão e Unidos da Palmeirinha, fundada por Paulo Ferreira. O Sambão reunia os jovens aqui da Baixa da Égua, tinha o Paulo Ferreira, saudoso Paulo Ferreira, o grande sambista que nós podemos citar aqui a família do Diderot. Dídimo, Paulo Vieira tinha uma mocidade muito forte. E a palmeirinha tinha o apoio de um dos maiores compositores de sambas do Piauí, Manoelzinho Alves campelo, fundador da escola de samba: “Nova escola de samba”. Que nesta época já não atuava mais pela escola de “samba nova”, mas ele continuava compondo e ensinando violão. E o Manoelzinho foi autor de vários sambas da Unidos da Palmeirinha. Sambas campeões. Tinha um samba que falava da saudosa palmeira. Isso já foi na década de 60 pra cá. Tinha o Sambão de 73 a Palmeirinha de 72. Tinha uma escola de samba lá onde começou Teresina. Lá no bairro Poty Velho. Era o Piratinga do Samba. Quem encabeçou essa escola foi o então vereador Vieira Touranga. Que foi um grande batalhador pela escola de samba Piratinga. E creio que ela ganhou esse nome por que o bairro Poty Velho era um bairro de pescadores. E a grande força econômica do bairro na época era o peixe. O Piratinga do ritmo, ou o Piratinga do samba, como queiram chamar, era composta basicamente por pescadores. Durante o dia eles pescavam e a noite eles iam sambar. A escola chegou a ganhar um campeonato. Tudo isso alavancado pelo vereador Touranga. Mas também ela teve vida curta.

 

 

 

 

 

 

 

PERGUNTA: — Messias, agora eu quero saber exatamente do SAMBA DE RODA. Você até agora falou mais do carnaval. As origens do carnaval em Teresina. E você falou que tudo isso teve inicio aqui nesta região próxima ao Lindolfo Monteiro, Ginásio de Esporte Verdão. Onde antes era conhecido como Largo da Penitência. Por que desse nome? E samba surgiu de que? De uma roda de amigos, ou o quê?

 

RESPOSTA: — Eu costumo dizer que samba de roda, o ritmo do samba, ou de umbigada como costumam dizer, o gingado surgiu aqui em Teresina desde a transferência da capital do Piauí de Oeiras pra cá. Eu costumo dizer que o samba veio junto com a transferência da capital em 1852. Agora, só que o carnaval é muito antigo desde o descobrimento do Brasil, os portugueses já faziam. E aqui no Piauí sempre teve. Os piauienses sempre fizeram suas festas, seus saraus. Sempre houve grandes instrumentistas aqui. Eu me lembro de quando estavam construindo a igreja do Amparo; a igreja do Amparo é uma das mais antigas de Teresina. A primeira missa na igreja do Amparo foi celebrada em 25 de dezembro de 1852. Por que depois da transferência de Teresina, após 05 meses ocorreu a primeira missa na igreja do Amparo. Então, quando esse povo todo veio de Oeiras pra cá, veio no meio deles além dos comerciantes e operários vieram também sambistas.

PERGUNTA: — O bairro Vila Operária surgiu antes ou depois do Largo da Penitência?

 

RESPOSTA: — A vila já existia. Mas a primeira escola de samba foi fundada aqui no Largo da Penitência. Mas por que chamavam largo da penitencia? Por que aqui existia a penitenciária estadual. Tinha o asilo dos loucos, o hospital dos doentes mentais. O quartel do Exército 25º BC. Onde hoje é a chamada pedra que abriga os vendedores de carros usados ficava ao lado da penitenciária, que hoje abriga o ginásio de esporte Verdão. Tinha também a capela de Santa Teresinha, e a LBA ficava na esquina.  

 

***

 

 

Este é um pequeno resumo da origem do samba em nossa capital, Teresina, Estado do Piauí.

 

Então baseado nesse relato podemos dizer que Manoel Alves Campelo foi o criador do carnaval em Teresina no ano de 1940. E que o carnaval teve seus primeiros acordes, batuques e ensaios no seio da família do Manoelzinho. Vindo posteriormente a ganhar força e novos adeptos com o pessoal da Vila Operária, e adjacências. Formando a famosa turminha do batuque nos de finais de semana, sempre regada a muita cachaça.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O SAMBA DE RODAS OU RODAS DE SAMBA E SEUS PRECURSORES: MESTRES TEODORO GARCIA E MESTRE MANOEL CAMPELO

 

Ainda segundo a revista: Cadernos de Teresina, o samba surgiu em rodas de samba e serestas nas noites enluaradas na década de 40. Sob a luz dos lampiões a gás e lamparinas, ao som de violão sete cordas, flautas, surdos e outros instrumentos de percussão. Tendo como um dos seus patronos Mestre Teodoro Garcia. As rodas e batuques ocorriam na Rua Wladimir do Rego, 1061 próximo ao antigo mercado do Cajueiro.

 

Mas segundo nosso entrevistado, Manoel Messias o primeiro sambista, ou os primeiros sambistas foram mesmo o seresteiro Manoel Alves Campelo e sua família seguida por alguns amigos. As rodas de sambas aconteciam na antiga Rua Palmeirinha ao lado do Estádio Lindolfo Monteiro.

 

 

O fato é que neste período tivemos em Teresina os primeiros acordes e batuques do samba. Tendo como patrono essas duas figuras majestosas para o samba/carnaval da capital tupi. Foram eles: MANOEL ALVES CAMPELO E MESTRE TEODORO GARCIA. O que caracteriza o berço e palco do samba esse dois endereços: Rua Palmeirinha, e Rua Wladimir do Rego — centro de Teresina.

 

                                       —*** —

 

O QUE É O SAMBA?

 

MAS AFINAL, O QUE É O SAMBA? E DE ONDE SE ORIGINOU ESSE RITIMO MUSICAL QUE SE TORNOU UMA FEBRE NO BRASIL?

Segundo o site http://www.suapesquisa.com/samba/ O samba surgiu da mistura de estilos musicais de origem africana e brasileira. O samba é tocado com instrumentos de percussão (tambores, surdos, timbau) e acompanhado por violão e cavaquinho. Geralmente, as letras de sambas contam a vida e o cotidiano de quem mora nas cidades, com destaque para as populações pobres. O termo samba é de origem africana e tem seu significado ligado às danças típicas tribais do continente.

As raízes do samba foram fincadas em solo brasileiro na época do Brasil Colonial, com a chegada da mão-de-obra escrava em nosso país.
O primeiro samba gravado no Brasil foi Pelo Telefone, no ano de 1917, cantado por Bahiano. A letra deste samba foi escrita por Mauro de Almeida e Donga.
Tempos depois, o samba toma as ruas e espalha-se pelos carnavais do Brasil. Neste período, os principais sambistas são: Sinhô Ismael Silva e Heitor dos Prazeres. Na década de 1930, as estações de rádio, em plena difusão pelo Brasil, passam a tocar os sambas para os lares. Os grandes sambistas e compositores desta época são: Noel Rosa autor de Conversa de Botequim; Cartola, de As Rosas Não Falam; Dorival Caymmi de O Que É Que a Baiana Tem?; Ary Barroso, de Aquarela do Brasil; e Adoniran Barbosa, de Trem das Onze.
Na década de 1970 e 1980, começa a surgir uma nova geração de sambistas. Podemos destacar: Paulinho da Viola, Jorge Aragão, João Nogueira, Beth Carvalho, Elza Soares, Dona Ivone Lara, Clementina de Jesus, Chico Buarque, João Bosco e Aldir Blanc.
Outros importantes sambistas de todos os tempos: Pixinguinha, Ataulfo Alves, Carmen Miranda (sucesso no Brasil e nos EUA), Elton Medeiros, Nelson Cavaquinho, Lupicínio Rodrigues, Aracy de Almeida, Demônios da Garoa, Isaura Garcia, Candeia, Elis Regina, Nelson Sargento, Clara Nunes, Wilson Moreira, Elizeth Cardoso, Jacob do Bandolim e Lamartine Babo.

 

O SAMBA DE RODA

 JÁ O SAMBA DE RODA, SURGIU NA BAHIA NO SÉCULO XIX, apresenta elementos culturais afro-brasileiros. Com palmas e cantos, os dançarinos dançam dentro de uma roda. O som fica por conta de um conjunto musical, que utiliza viola atabaque, berimbau, chocalho e pandeiro.
No Rio de Janeiro, o samba está ligado à vida nos morros, sendo que as letras falam da vida urbana, dos trabalhadores e das dificuldades da vida de uma forma amena e muitas vezes com humor.

 

FONTE: SITE = SUA PESQUISA.COM http://www.suapesquisa.com/samba/

 

 

 

 

 

 

Por D`Gáudio Procópio

 

Teresina, 11 de setembro de 2011.

 

publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 16:38

29
Mai 11
BOI ESTRELA/ MESTRE BRANQUINHO

FOTO: DGAUDIO/ THE / PI

 

 

MESTRE BRANQUINHO: UM APAIXONADO PELO FOLCLORE E OS COSTUMES DE NOSSA TERRA. HÁ 25 ANOS QUE ESTÁ A FRENTE DAS FESTAS DE REISADOS. COM MUITO AMOR E DEDICAÇAO ELE CONDUZ O BOI ESTRELA E ANIMA AS FESTAS DE REIS. RESIDENTE EM TERESINA, MAIS PRECISAMENTE EM BOUQUINHHA REGIÃO DA SANTA TERESA.

 

TELEFONES PARA CONTATOS: GRUPO BOI ESTRELA

8834-9059/9931-3467 OU NA FUNDAÇÃO MONSENHOR CHAVES COM WAGNER RIBEIRO- 3215-7820

publicado por dgaudioprocopio o Poeta às 13:30

Agosto 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO